METAR

TAF

 

Glossário de Meteorologia


Termos Meteorológicos

A B C D E F G H I J L M N O P R S T U V Z


Abreviaturas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W Z




Resultado da Consulta de Termos - Letra "C"



CALMARIA
Condições atmosféricas destituídas de vento ou de qualquer outro movimento do ar. Em oceanografia, é a ausência aparente de movimento da superfície da água, quando não há vento ou ondulação.


CALOR
Forma de energia transferida entre dois sistemas em virtude de uma diferença na temperatura. A primeira lei da termodinâmica demonstra que o calor absorvido por um sistema pode ser utilizado para a realização de trabalho ou para elevar a energia interna deste sistema.


CAMADA DE OZÔNIO
Camada da atmosfera que contém uma elevada proporção de oxigênio, sob a forma de ozônio. Esta camada age como um filtro, protegendo o planeta da radiação ultravioleta. Situa-se entre a troposfera e a estratosfera, aproximadamente entre 15 a 20 quilômetros (9,5 e 12,5 milhas) acima da superfície da Terra.


CARTA SINÓTICA
Qualquer mapa ou gráfico que descreva as condições meteorológicas ou atmosféricas, para uma área extensa, em um dado momento.


CAVADO
Área alongada de baixa pressão atmosférica que é associada com uma área de circulação ciclônica mínima. Oposto de Crista.


CEILÔMETRO
Instrumento utilizado para medir a elevação da base de uma nuvem. Pode basear-se na utilização de laser, através do registro do tempo necessário para que o raio de luz emitido seja refletido pela base da nuvem e retorne para o equipamento. Procedimentos de triangulação são aplicados quando utilizadas outras fontes de luz.


CÉLULAS DE CIRCULAÇÃO
Grandes áreas de circulação do ar, criadas pela rotação da Terra e pela transferência de calor, proveniente do Equador, em direção aos pólos. A circulação é restrita a uma região específica, como os trópicos, regiões de clima temperado ou polar, o que influencia no tipo de clima de ocorrência nestas regiões.


CENTRO NACIONAL DE FURACÕES
Seção do Centro de Previsões Tropicais (Tropical Prediction Center), é o setor do Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos (National Weather Service) responsável pelo rastreamento e pelas previsões de ciclones tropicais no Atlântico Norte, Caribe, Golfo do México e Pacífico Oriental. Para mais informações, contate o NHC, em Miami, Flórida.


CÉU CLARO
O estado do céu, quando nenhuma nuvem ou obscurecimento são observados ou detectados do ponto de observação.


CHUVA
Precipitação na forma de água líquida, com gotas apresentando dimensão superior a 0,5mm. Se dispersão for elevada, esta dimensão pode se reduzir. É reportada como "RA" em observações meteorológicas e em código METAR. A intensidade de chuva é baseada na taxa de sua queda. "Muito Leve" resulta de gotas dispersas que não chegam a molhar completamente uma superfície. "Leve" apresenta taxa de queda inferior a 2,5mm por hora. "Moderada" apresenta taxa de queda entre 2,5mm e 7,5mm por hora. "Forte" apresenta taxa de queda superior a 7,5mm por hora.


CHUVA ACUMULADA
Valor acumulado de precipitação de qualquer tipo, principalmente da água em estado líquido. É usualmente a quantidade medida através de um pluviômetro. Termo relacionado: Chuva.


CHUVISCO
Precipitação que cai lentamente em forma de minúsculas gotas d'água, com diâmetros inferiores a 0,5 milímetros. Provém de nuvens do tipo stratus e é freqüentemente associada com baixa visibilidade e nevoeiro. É referida como “DZ” em observações meteorológicas e em código METAR.


CICLO DA ÁGUA
O transporte vertical e horizontal de água, em todos os seus estados, entre a terra, atmosfera e mares.


CICLOGÊNESE
Processo que cria um novo sistema de baixa pressão, ou ciclone, ou intensifica um sistema pré-existente.


CICLONE
Área com pressão inferior àquela apresentada em áreas circunvizinhas, considerando-se um mesmo nível. Resulta em convergência de ventos, os quais se movem no sentido horário no Hemisfério Sul e no sentido anti-horário no Hemisfério Norte. Também conhecida como área de baixa pressão; é o oposto de uma área de alta pressão, ou anticiclone. Termo relacionado: Anticiclone.


CICLONE EXTRATROPICAL
Qualquer ciclone de origem não tropical. Geralmente considerado como um ciclone frontal migratório, encontrado nas médias e altas latitudes.


CICLONE TROPICAL
Sistema de baixa pressão de núcleo quente, que se desenvolve sobre águas tropicais e, às vezes, subtropicais. Possui circulação organizada ao redor de seu centro. Dependendo da intensidade dos ventos em superfície, o sistema pode ser classificado como distúrbio tropical, depressão tropical, tempestade tropical ou furacão.


CIRCULAÇÃO
Fluxo ou movimento de um fluido em ou por uma determinada área ou volume. Em meteorologia, é utilizado para descrever o fluxo de ar quando de seu movimento em um sistema de pressão na atmosfera. Descreve padrões menores em sistemas de pressão semi-permanentes como também as correntes de ar em escala global, de relativa permanência. Em oceanografia, é utilizado para descrever o fluxo da corrente de água dentro de uma grande área, normalmente um padrão circular fechado como no Atlântico Norte.


CIRCULAÇÃO DESCENDENTE DE VALE E MONTANHA
Aquecimento de um fluxo de ar, como resultado de seu deslocamento descendente ao longo da encosta de uma colina ou montanha. Oposto de circulação ascendente.


CIRRUCUMULUS
Nuvem de formato cirrus, com desenvolvimento vertical. Possui a aparência de uma fina camada de pequenas bolas brancas, gerando um efeito ondulado. Cria geralmente um “céu escamado”, uma vez que as ondulações podem se assemelhar a escamas de peixe. Às vezes é confundida com altocumulus, porém, apresenta massas individuais menores e não lança sombra em outros elementos. É o tipo de nuvem menos comum e se forma freqüentemente a partir das nuvens cirrus ou cirrostratus, com as quais é associada no céu.


CIRROSTRATUS
Nuvem de formato cirrus. Desenvolve-se a partir do espalhamento de nuvens cirrus, resultando em uma camada fina, regular e esbranquiçada. Pode dar ao céu um aspecto leitoso ou como se recoberto por um véu. Quando vista da superfície da Terra, os cristais de gelo presentes nesta nuvem podem criar o efeito de halo ao redor do Sol ou da Lua. Esta nuvem é uma boa precursora de precipitação, indicando sua possível ocorrência entre 12 a 24 horas.


CIRRUS
Uma das três formas básicas de nuvem (as outras são cumulus e stratus). Também é um dos três tipos de nuvem alta. Cirrus é uma nuvem fina ou delgada, composta de cristais de gelo, que aparece freqüentemente com a forma de véus ou como cordões. Nas latitudes médias, normalmente são encontradas formações dessas nuvens entre 6.000 e 9.000 metros (20.000 e 30.000 pés) de altura. É considerada como a nuvem de formação mais elevada, com exceção do topo das bigornas de nuvens cumulonimbus que, ocasionalmente, atingem maiores alturas.


CISALHAMENTO DIRECIONAL
Rajada de vento criada por uma mudança abrupta na direção do vento com altura.


CLIMA
O registro histórico e a descrição da média diária e sazonal de eventos associados ao tempo, que ajudam a descrever uma região. As estatísticas são geralmente calculadas a partir de várias décadas de observação. A palavra é derivada do grego, "klima", significando inclinação e refletindo a importância atribuída à influência do Sol, por estudiosos na antiguidade.


CLIMATOLOGIA
O estudo do clima. Envolve a caracterização e análise do clima, a partir de séries temporais de variáveis de tempo.


COALESCÊNCIA
A fusão de duas gotas de água em uma única gota maior.


CONDENSAÇÃO
Processo através do qual o vapor de água passa do estado gasoso para o estado líquido. É o processo físico oposto à evaporação.


CONDUÇÃO
Transferência de calor através de uma substância, por meio de ação molecular ou transferência de calor resultante do contato entre duas substâncias.


CONGELAMENTO
Um dos processos associados à transformação do estado de uma substância. Neste caso passagem de estado líquido para o estado sólido. É o oposto de fusão. Termo relacionado: Ponto de Congelamento.


CONVECÇÃO
Movimentos em um fluido, responsáveis pelo transporte e mistura de suas propriedades. Estas propriedades podem ser calor e/ou umidade. Quando utilizada para indicar somente movimento vertical ascendente, é o oposto de subsidência.


CONVERGÊNCIA
Movimento do vento associado ao fluxo horizontal do ar para dentro de uma região específica. Convergência em níveis mais baixos encontra-se associada ao movimento ascendente do ar. Oposto de divergência.


COORDENADA DE TEMPO UNIVERSAL
Convenção utilizada para identificar o tempo de referência no planeta, definido a partir do fuso horário Zero. Este fuso abrange o meridiano de referência, que passa por Greenwich, Inglaterra, onde este método de divisão de tempo mundial foi inicialmente utilizado. Segundo o método, o globo é dividido em 24 fusos horários de 15 graus de arco, ou distantes uma hora entre si. A leste do meridiano de Greenwich, os fusos vão de uma a 12 horas, antecedidos pelo sinal negativo (-), indicando o número de horas a ser subtraído para se obter o Tempo Médio de Greenwich (TMG). A oeste, os fusos horários vão de uma a 12 horas, mas são antecedidos pelo sinal positivo (+), indicando o número de horas a ser somado para se obter o TMG. Termos relacionados: Tempo Médio de Greenwich, Zulu-Coordenadas do Tempo.


CORREDOR DOS TORNADOS
Corredor geográfico nos Estados Unidos que se extende no sentido norte, doTexas ao Nebraska e Iowa. Em números absolutos, esta é a região dos Estados Unidos com maior registro de ocorrência de tornados.


CORRENTE DE JATO
Área de ventos fortes concentrados em uma faixa relativamente estreita na troposfera superior em latitudes médias e regiões subtropicais dos Hemisférios Sul e Norte. Fluindo em uma faixa semi-contínua ao redor do globo, de oeste para leste, as Correntes de Jato são causadas por variações na temperatura do ar quando o ar polar frio, que se move para o Equador, encontra o ar equatorial quente, que está se movendo para os pólos. São marcadas por uma elevada concentração de isotermas e por um intenso cisalhamento vertical. Termo relacionado: Jato Subtropical.


CRISTA
Área alongada de alta pressão atmosférica, associada a uma área de máxima circulação anticiclônica. É o oposto de Cavado.


CUMULUS
Uma das três formas básicas de nuvem (as outras são cirrus e stratus). Também é um dos dois tipos de nuvem baixa. É uma nuvem com desenvolvimento vertical, com bases planas e superfícies superiores em forma de domo ou couve-flor. A base da nuvem encontra-se freqüentemente abaixo de 900 metros (3.000 pés), mas a altura do topo pode variar. Nuvens pequenas e esparsas do tipo cumulus estão associadas com tempo bom (cumulus humilis). Com o aquecimento adicional da superfície da Terra, elas podem se desenvolver verticalmente ao longo do dia, podendo o topo desta nuvem alcançar facilmente 6.000 metros (20.000 pés) de altura, ou mais, na troposfera. Sob condições atmosféricas específicas, estas nuvens podem se transformar em nuvens maiores, conhecidas como cumulus congestus e podem produzir chuva. A continuidade no seu desenvolvimento pode resultar na criação de nuvem do tipo cumulonimbus.


CUMULUNIMBUS
Nuvem resultante do desenvolvimento vertical de nuvem cumulus, freqüentemente recoberta por elemento em forma de bigorna. Também chamada de nuvem de temporal, é freqüentemente acompanhada por pesadas pancadas de chuva, raios, trovões e, às vezes, granizo, rajadas fortes de vento e tornados.